Faetec abre concurso para temporarios

Para reforçar o quadro de professores de unidades da fundação de apoio à Escola técnica do Rio de Janeiro (Faetec) que oferece ao longo deste ano 112.090 mil em seus cursos profissionalizantes e já conta com cerca de 140 mil de inscritos – o Governo do Estado estará recebendo até o dia 14 de fevereiro, inscrições para contratação temporária de 616 docentes.

Os salários oferecidos no novo concurso para professores variam de R$810,43 a R$2.273,35. As vagas são para instrutor, professor, especialista técnico em pedagogia e professor do instituto superior. Os interessados devem fazer a inscrição pela internet através do site da fundação no endereço eletrônico www.faetec.rj.gov.br.
    
Na área de qualificação, estamos sempre contratando professores temporários para suprir as demandas das nossas unidades. E importante renovar o nosso quadro de docentes porque trabalhamos com as convocações econômicas das regiões, que estão sempre em mudanças. Precisamos de profissionais novos – afirmou o presidente da Faetec, Celso Pansera.
    
No processo seletivo, serão analisados os títulos acadêmicos e o tempo de atuação em atividades compatíveis com o cargo. A contratação terá o prazo de 12 meses, podendo se prorrogada pelo mesmo período. O resultado final do concurso será divulgado no site da fundação no dia de 16 de fevereiro.
     
Prazo para inscrições de cursos foi prorrogados, com o sucesso de inscrições para a maior oferta de vagas de educação profissional de sua história, a Faetec prorrogou até 5 de fevereiro o calendário de inscrições. Ao todo, são 112.090 mil vagas em qualificações dos centros de vocacionais Tecnológicos (CVTs) e dos centros de Educação Tecnológica e Profissionalizante (Ceteps). Desse total 3.960 vagas são destinadas aos cursos de informática das Faetecs digitais.
     
A Faetec mostra a sua credibilidade co esse projeto de qualificação de profissionais. Nos próximos anos, o Rio de Janeiro será o primeiro Estado do país a apagar o vocabulário a expressão “apagão de mão de obra”- afirmou o secretario de ciências e tecnologia, Alexandre Cardoso.