Fórum de Emprego e Renda chega ao fim e quer fomentar o turismo

 Relatório final do Fórum de Emprego e  Renda foi entregue ontem

Aumentar o investimento no setor turístico. Essa foi a principal conclusão do relatório final do I Fórum de Emprego e Renda de Cabo Frio, apresentado ontem no Costa Azul iate Club. O relatório foi construído a partir de grupos de discussão formados por representantes da sociedade no primeiro encontro do fórum, em julho.
Para Mauro Osório, coordenador do Fórum, apesar do relatório ser dividido em nove principais categorias de geração de renda – petróleo e gás, moda praia, comércio, turismo, pesca, agropecuária, educação qualificada e inovação - , a de maior potencial na região é o turismo. Mas falta estrutura.

- Esse é um documento de ponto de partida. É preciso que a cidade tenha fóruns de discussão regulamente para avaliar, não apenas as potencialidades, mas o funcionamento dos projetos, porque não basta fazer um documento, apontar os problemas se as soluções não forem colocadas em prática. Portanto, é preciso que a cidade invista, para que, no futuro, possa colher os frutos – afirma ele.

 O Fórum de Emprego e Renda surgiu da necessidade de discutir a capacidade da cidade de geração de emprego, visando o futuro.  O projeto foi uma parceria da prefeitura de Cabo Frio com a Ferlagos e o Sebrae. Para Ana Cláudia Vieira, gerente regional do Sebrae, uma cidade não se faz somente com o poder público, é preciso a participação da sociedade. E o fórum é exatamente isso.

- Não é teoria, o documento foi produzido a partir de grupos de discussão da sociedade, ou seja, da prática. Foi a vivência da sociedade que mostrou a necessidade, afinal, são os moradores de  uma cidade que sabem o que ela precisa – disse.

De acordo com Ricardo Azevedo, Coordenador Geral da Indústria, Comércio, Trabalho e Renda de cabo Frio, o documento servirá de norte para os futuros governantes.

- O objetivo agora, nesta segunda fase do fórum, é apresentar o relatório ao poder público com os cargos ainda em vigência, porque, talvez, algumas medidas já possam ser implantadas. Mas queremos que ele também sirva de base para os prefeitos e vereadores que ainda virão. Não sabemos quem ganhará, mas o  relatório é imparcial.

Conseguimos essa imparcialidade com o assessoramento do professor Mauro Osório, contratado pelo Sebrae. Ele é um  profissional, um estudioso sobre as necessidades do estado do Rio e foi quem desenvolveu o relatório – finalizou o coordenador, lembrando que o relatório estará a disposição de toda a sociedade através do site www.cmer.com.br.
Fonte: Jornal Folha dos Lagos, 24 de agosto de 2012 – sexta-feira – pág. 3.